A urina humana

A urina humana, tal como a urina de outros animais, é composta por cerca de 3000 componentes, mas principalmente de água (95%, em média), e contém também cerca de 3% de ureia e de ácido úrico, sal e outras substâncias, sendo expelida durante o ato de urinar. O volume, a acidez e a concentração de sais na urina são regulados por hormonas, entre as quais figuram a hormona antidiurética e a aldosterona. Estas hormonas atuam nos rins para garantir que urinaa água, os sais e o equilíbrio ácido-base (acidez ou alcalinidade do sangue e do fluido intersticial) do organismo se mantêm dentro de estreitos limites. Cerca de metade dos sólidos na urina humana são ureia, o principal produto da degradação do metabolismo das proteínas, e o resto inclui nitrogénio, cloretos, cetosteroides, fósforo, amónio, creatinina e ácido úrico. A presença na urina de açúcar, albumina, pigmentos biliares ou quantidades anormais de algumas substâncias, incluindo as constituintes habituais, é indicador de doenças. A urina é normalmente estéril quando é expelida e tem só um vago cheiro. O cheiro desagradável da urina deteriorada é devido à ação de bactérias que provocam a libertação de amoníaco.

Conteúdos anormais da urina

Glicosúria: é a presença de glucose na urina e aparece sobretudo na diabetes mellitus;
Hematúria: é a presença de sangue na urina, podendo ser sinal de problemas como: infeção urinária, litíase urinária, glomerulonefrite, neoplasia (cancros da bexiga, do uréter, dos rins ou da próstata)
Bacteriúria: é a presença de bactérias na urina;
Piúria: é a presença de pus na urina;
Proteinúria: é a presença de proteínas na urina, como é costume observar-se nos casos de glomerulonefrite, infeção do trato urinário, intoxicações, diabetes e outras.

A importância do exame de urina

O exame de urina é um dos exames complementares coadjuvantes mais utilizados na clínica. A análise da urina pode ser feita quanto à quantidade; densidade; pH; aspecto físico (cor, transparência, cheiro, etc.); presença ou não de elementos e sedimentos anormais e de germes; composição bioquímica e pesquisa microscópica.

Muitas substâncias são encontradas regularmente na urina, em taxas fisiológicas normais, mas podem estar aumentadas em determinadas condições patológicas, entre as quais se conta a glicose, a ureia, a creatinina, o ácido úrico, o sódio, o cloreto, o potássio, o cálcio, o magnésio, a amônia, o fosfato e o sulfato.

Curiosidade: A cor amarelada é resultado da presença de duas substâncias secretadas pelo fígado: ourocromo e a urobilina.

Fonte: Wikipedia