Exames de Pré Natal

gestantes

Durante a gestação, a mulher deve realizar alguns exames para acompanhar o desenvolvimento do bebê e a sua saúde. Os Laboratórios Duclin estão aptos a realizar estes exames com a total confiabilidade que você deseja ter. Solicite ao seu medico os exames e venha fazer seus exames em ambiente confortável e que oferece total atenção á gestante, oferecendo resultados precisos, rápidos e confiáveis.

Exames Fundamentais

Hemograma completo

Detecta anemia e infecções. A mulher precisa estar em jejum de três horas. “Esse exame dever realizado mensalmente durante a gestação”.

Glicemia

Útil para detectar intolerância à glicose e diabete. Será repetido na 26ª semana de gravidez, quando o corpo apresenta mais dificuldade para assimilar o açúcar. Realizado em jejum de oito horas.

Sistema ABO e fator Rh

Verifica o tipo de sangue e se o fator Rh é positivo ou negativo. Caso a mulher seja Rh negativo e o homem Rh positivo, há o risco de o corpo dela produzir anticorpos contra o sangue do bebê. Com esse exame, é possível impedir a produção dos anticorpos com medicação específica.

HIV (vírus da imunodeficiência humana)

Mostra a presença do vírus que causa a aids. A gestante precisa autorizar sua realização.

Sorologia para rubéola

Avalia se a mulher tem imunidade contra o vírus da rubéola (extremamente grave para o feto), seja por vacina, seja por ter tido contato com a doença. Realizado em jejum de três horas.

Reação para toxoplasmose

Acusa se a grávida já teve alguma infecção causada pelo protozoário Toxoplasma gondii. Esse microorganismo pode provocar danos nos nervos e na visão do feto. Realizado em jejum de oito horas.

VDRL

Essa é a sigla em inglês para venereal disease research laboratory, que, em tradução livre, significa algo como pesquisa laboratorial de doença venérea. Como o nome denuncia, é útil para detectar problemas como a sífilis. A bactéria por trás desse mal, a Treponema pallidum, pode provocar aborto, parto prematuro e más-formações caso a mãe seja portadora do microorganismo.

Sorologia para hepatite B e C

Mostra a presença dos dois tipos de vírus.

Sorologia para citomegalovírus

Indica se a paciente já foi infectada ou não pelo vírus.

Urina

Revela a presença de uma eventual infecção urinária e, segundo o obstetra Marco Antônio Lenci, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, também pode ser útil na detecção de proteínas em gestantes hipertensas – o que indica a presença de pré-eclampsia. Também é válido para o acompanhamento de grávidas diabéticas. Deve ser realizado com a primeira urina da manhã ou após três horas sem urinar. Isso para que o líquido esteja com concentração adequada para ser examinada.

Fezes

Verifica se há parasitas no intestino. Não há uma razão específica, mas deve ser realizado no início da gravidez, em três dias diferentes.

Exames recomendados para uma gravidez de baixo risco

1º trimestre

Determinação de grupo sanguíneo e do fator Rh: prevê e evita a eritroblastose fetal (incompatibilidade sanguínea entre a mãe e o feto). Quando a mãe tem o fator Rh negativo e o feto positivo, os anticorpos dela atacam o sangue do bebê. Pode ser tratado, se diagnosticado precocemente. O exame é feito com coleta sanguínea;
Hemograma: verifica proporções, quantidade e aspectos morfológicos do sangue. É importante para o diagnóstico de anemia;
Glicemia de jejum: detecta se há tendência de desenvolvimento de diabetes gestacional. Coleta de sangue em jejum para determinar a concentração de glicose no sangue;
Coleta de sangue para pesquisar ocorrência de hepatite B, toxoplasmose, HIV (o vírus que causa AIDS), rubéola e sífilis;
Exame de urina: avalia presença de infecção urinária;
Ultrassom obstétrico: é indicado para confirmar a cronologia da gestação. Também pode ser usado para prognóstico de doenças cromossômicas ou malformações;
Papanicolau: para detectar câncer do colo de útero.
2º trimestre

Repete-se o exame de sangue para avaliar existência de sífilis e, se necessário, toxoplasmose;
A coleta de sangue para avaliar a glicemia de jejum também é refeita, assim como o exame de tolerância à glicose. Novamente, o objetivo é avaliar se há tendência de diabetes gestacional;
Ultrassom obstétrico morfológico: nessa fase, é útil para analisar a formação dos órgãos fetais.
3º trimestre

São repetidos os exames de sangue, como o hemograma e as sorologias, que podem detectar hepatite B, toxoplasmose, HIV, rubéola e sífilis;
Ultrassom obstétrico: na reta final, avalia o crescimento fetal e sinaliza complicações como desnutrição ou excesso de peso. Monitora também o volume de líquido amniótico e as condições da placenta.